Mostra de Performances
Acesso de Vertigem: curadoria de Susana Chiocca
25/9/2019

25/9/2019
22:00
Performance
Image

Acesso de vertigem #2 é o desdobramento do projecto de investigação e criação performativa que começou em 2018. Uma residência, uma performance-conversa e uma mostra que acontecerão no mês de setembro.

António Poppe é o artista convidado desta edição para participar na residência artística na qual irá desenvolver o seu trabalho. Durante o processo de criação, a meio de setembro, haverá uma performance-conversa, em que será possível conhecer o seu corpo de trabalho. Este será um momento importante de exploração, reflexão e conhecimento do seu percurso, possibilitando uma perspectiva mais ampla em diálogo com o público. Poppe cria entre a palavra, o desenho, a colagem e a meditação. A poesia sempre manifesta pelo pensamento aberto ao que vem, à performatividade, na sua lavrameditação. Concretiza-se, para além da grafia-desenho e do formato livro, no canto, na declamação num cruzamento instintivo de outras culturas e civilizações, que nos transportam a outros tempos e lugares.

A mostra conta com a apresentação de António Poppe, Francisco Babo, Leonor Figueiredo, Margarida Correia, Xavier Paes & 7 Magníficos Avatares. Artistas que abordam múltiplas temáticas – o político, o social, o cultural, o sexual – lançam ao público questionamentos que naturalmente se amplificarão.

Acesso de Vertigem quer explorar as potencialidades de outros seres, de outros corpos performáticos, que afirmam o presente pelo texto, espaço, ciberespaço, pela voz, imagética, luz e som. Quer também provocar um desacerto onde o poético e o non-sense estarão presentes. Pensar o hoje, abrangê-lo, amplificá-lo, estilhaçá-lo, benquerê-lo...

Susana Chiocca

*Agradecimento especial ao Balleteatro, parceiro para a realização da residência.


Sinopses

UTRA: INUNDA*
por António Poppe
duracional

Utra: Inunda é uma imagem para contemplar o som que nunca para a revelação da natureza. Arde a meditar a luz na água. A mão que aprende o que compreende cria. Inunda: Utra é uma música para contemplar o silêncio colosso silêncio.

*criada durante residência

MANIA DAS LIMPEZAS
por Leonor Figueiredo
duracional

O discurso do ultra paci¬smo e dos consensos exacerbados é usado há décadas pelo próprio poder com o objetivo de manter a ordem e de se auto perpetuar. Paz não é só ausência de guerra. Paz é ser livre, sem ilusões nem reservas. Recuso a violência enquanto princípio, mas compreendo-a enquanto necessidade. Arte pode ser violência, combate, arma. Arte pan etária sim, quando tem de ser, tenham lá paciência.

FARDO
por Francisco Babo
duracional

O Dr. Estatísticas foi passar férias à praia da Manta Rota. Roído pelo tédio decidiu calcular o gradiente de cor dos grãos de areia em direção ao horizonte, em toda a zona seca da baixa-mar para não se molhar. Surgiu do mar tépido um senhor que fazia réplicas, sacudiu o cabelo com acerto, a cada grão a sua gota, dizendo ao Doutor: "Tenho o Quimono ideal para si". Sinopse activa. Tragam o dinheiro que eu trago os Quimonos.

O AVATAR COMO PERFORMER - GameBox
por Os Magníficos Avatares: Capcat Ragu (PT) | Livio Korobase (IT) | Paulaj Galicia (PT) | Venus Adored (NL) | Vitos Flores (PT) | Janjii Nataraj (BR)

A intensa atividade criativa dos artistas virtuais online tem encontrado uma sistemática dificuldade de se tornar acessível ao grande público da arte, quer nas galerias privadas ou institucionais, quer nos festivais ou mesmo nas Bienais Internacionais. A sua aparente invisibilidade nos médias da cultura não corresponde à realidade, já que ao longo da última década os mais variados artistas digitais tem desenvolvido online uma produção intensa e singular. Assim, apresentamos aqui uma GAMEBOX que foi restaurada e adaptada às plataformas digitais online, lado a lado com as projeções de registo de obras artísticas realizadas especificamente para estes ambientes. Deste modo, pretende-se que, posteriormente, estas obras em ambientes virtuais online possam vir a ser acedidas regularmente, através de um avatar visitante controlado por joystick em plataformas de acesso destinadas para tal efeito enquanto avatar.

BRUNETTE BLUES
por Margarida Correia

Uma morena chora a sua morte. Outrora escuras, as suas madeixas são agora claras. Um momento de silêncio, luto é preciso pelo que foi perdido. Esta performance segue o conto de uma jovem criatura que em breve cairá no abismo. Desaparecerá. Tornar-se-á nada mais do que uma memória alterada pelo tempo. O mestre do suspense triunfará e uma nova imagem nascerá, fria e precisa, a Loura Hitchcock.

DELUSION IS REQUIRED FOR SELF GROWTH
por Xavier Paes

Ocupação. Uma peça potencialmente maior que o espaço onde esta se encontra con¬nada. Círculo. O corpo coletivo é influenciado pelo movimento do objeto, sendo este obrigado a moldar-se em função dos limites desenhados pela roda no espaço negativo. Revolução. Procura pela ideia de vertigem interior através da rotação contínua do corpo assente num eixo vertical, e exterior através da repetição de estímulos visuais e sonoros. Desenhos cinéticos contínuos num esquema horizontal quadrimensional. Hipnose Metal.


Ficha Técnina

Curadoria: Susana Chiocca

Direção de Produção: Mariana Vitale

Assistência de Produção: Catarina Rangel Pereira
Comunicação: Catarina Rangel Pereira e Mariana Vitale
Fotografia: José Caldeira
Registo Audiovisual: Maria João
Técnica: Vinicius Ferreira
Organização: Saco Azul e Maus Hábitos
Parceria: Balleteatro

Image

Press

Saco Azul, Maus Hábitos,

Rua Passos Manuel 178

4º andar

4000-382 Porto


Produção Artística

sacoazul@maushabitos.com

danielpires@maushabitos.com

Image

powered by

Image
Image