Valter Vinagre
Não se ouve um ai
10/9/2020

7/10/2020
19:00
Exposição

Não se ouve um ai | Valter Vinagre

Ciclo "Poético ou Político?" com curadoria de João Baeta

[Entrada Livre]


"Hoje.


Nos dias sem tempo,

na dor que não passa,

neste manto de silêncio,


Aos que partiram, que nos deixaram no luto,

Não lhes pudemos prestar última homenagem com uma carícia,

o beijo último.


Partiram sós.

Deixando-nos à procura de conforto para este tempo,

na reza, no esconjuro, na dor."


Valter Vinagre

Mucifal, Sintra, 6 de Junho de 2020


//


Valter Vinagre

Nascido em Avelãs de Caminho (Anadia, Portugal) em 1954,Valter Vinagre estudou fotografia no AR.CO (Centro de Arte e Comunicação Visual, Lisboa) entre 1986 – 1989 e iniciou o seu percurso em finais dos anos 1980, realizando exposições individuais e participando em mostras e iniciativas de cariz coletivo. 


Exposições individuais (seleção):

Cá na Terra (Arquivo Fotográfico Municipal, Lisboa) / Bored in the USA (Centro Cultural Emmerico Nunes, Sines) / Espírito nas Ilhas (Museu Histórico Nacional, Rio de Janeiro) / Variações para um Fruto (Museu Francisco Tavares Proença Júnior, Castelo Branco) / Húmus (Centro Cultural de Cascais) / OLHA (Galeria Torreão Nascente da Cordoaria Nacional, Lisboa) / Posto de trabalho (Fundação EDP/MAAT, Lisboa. Sala de Arte El Brocense, Cáceres. Espanha) / Rouge, bleu, mauve et vert (Maison d’Image, Tunis. Tunisia) / Da natureza das coisas (Travessa da Ermida, Lisboa) / A Voz na cabeça (Galeria do Parque, Vila nova da Barquinha / Do Amor-Clausura (Galeria CAOS,Viseu) / Sob o Signo da Lua (Casa das Artes,Tavira; Centro Cultural Raiano, Idanha-a-Nova; Katowice, Miasto Ogrodów; Katowice, Polónia) / Entre a Ruína e o Fogo (Centro de Arte Contemporânea Graça Morais, Bragança). 


Exposições colectivas (seleção):

Topografias da Vinha e do Vinho (Cordoaria Nacional, Lisboa) / Uma Extensão do Olhar (CAV-Centro de Artes Visuais, Coimbra) / Pedras e Rochas (Fundação Eugénio de Almeida, Évora) / Stigmata (Sala do Veado, Lisboa) / Critério Visível – 150 Anos de Fotografia Portuguesa (Edifício da Cadeia da Relação, CPF, Porto) / O Presente - Uma Dimensão Infinita (BESart Coleção Banco Espírito Santo – Museu Coleção Berardo, Lisboa) / Um Diário da República (PhotoEspaña, Fundación António Saura / Casa Zavala, Cuenca / Galeria Slovenskej em Bratislava)  NDT80 (Mosteiro de Tibães, Braga) / Hospital (Panóptico do Hospital Miguel Bombarda, Lisboa) / O Tempo e o Modo, para um retrato da pobreza em Portugal (Pavilhão 31 do Hospital Júlio de Matos, Lisboa) / Os Inquéritos (À fotografia e ao Território) / Paisagem e Povoamento (CIAJG - Centro Internacional das Artes - José de Guimarães, Guimarães / Museu Nacional de Etnologia, Lisboa) / VER – Travessa da Ermida (Capela de S.Dâmaso, Idanha-a-Velha) / A Preto & Branco na Colecção da Fundação PLMJ” (Sociedade Nacional de Belas Artes, Lisboa) / Second Nature: Portuguese Contemporary Art from the EDP Foundation Collection (The Kreeger Museum, Washington D.C. USA) / Mostra‎ Poster 2018, Marvila, Lisboa / BF18 _ Bienal de Fotografia de Vila Franca de Xira.


Prémios:

Prémio Autores 2016 da Sociedade Portuguesa de Autores como Melhor Trabalho de Fotografia com “Posto de trabalho” / Prémio da 6.ª Bienal de Fotografia de Vila Franca de Xira em 1999 com “Corpu insanu”.



Ficha Técnica

Poético ou Político?

Curadoria: João Baeta

Produção e Comunicação: Mariana Vitale

Assistência de Produção e Comunicação: Catarina Rangel Pereira

Assessoria de Imprensa e Comunicação: Diana Reis

Impressão: Lumen

Estágio: Diana Duarte


Image

Projeto:

Mupi Gallery

Press

Saco Azul, Maus Hábitos,

Rua Passos Manuel 178

4º andar

4000-382 Porto


Produção Artística

marianavitale@maushabitos.com

danielpires@maushabitos.com

Image

powered by

Image
Image