André Rangel, Francisco Aguiar, Sara dos Santos
Estilhaços # 03
22/12/2021

23/12/2021
20:00
Performance

Estilhaços | Mostra de Performances

curadoria de Susana Chiocca


08.12 Estilhaços #01 Gabriela Manfredini, José Oliveira, Leonor Parda

15.12  Estilhaços #02 | Alex Lima, Beatriz Albuquerque, Felícia Teixeira & João Brojo

22.12  Estilhaços #03 |  André Rangel, Francisco Aguiar, Sara dos Santos


Estilhaços é a proposta de programação artística para três quartas atípicas no mês de dezembro. Três noites, três artistas, três eixos presentes em cada evento: luz, voz e corpo. A curadoria fica a cargo de Susana Chiocca que estende o convite a nove artistas de diferentes áreas e gerações, a viver entre as cidades do Porto e de Coimbra. São eles: Alex Lima, André Rangel, Beatriz Albuquerque, Felícia Teixeira & João Brojo, Francisco Aguiar, Gabriela Manfredini, José Oliveira, Leonor Parda, Sara dos Santos. A cada encontro, três artistas serão desafiados a compor com os outros uma noite plural, com uma dimensão intimista e celebratória.


Proposta curatorial 


Neste tempo de alisamento e perda de profundidade, em que saltamos de uma sensação atrás de outra, procuramos estabelecer momentos únicos de vivência partilhada que permitam viajar, fantasiar, pensar, idealizar, construir memórias, imprimir novas imagens e, quem sabe, criar. Projectamos um evento performático com a duração de três noites, um por semana, em que cada encontro propõe cruzar a luz, a voz e o corpo, num convite à partilha, à abertura e à imersão dos sentidos com o público. 

Entre aromas e sabores, num formato próximo do cabaret, os corpos são atravessados por estas experiências, numa fusão entre o espaço, o público e os artistas. Os trabalhos inéditos transpiram poesia, intimidade, deambulação, perturbação, empoderamento de si e um questionamento do mundo. Desde a nossa mesa, podemos apreender e degustar as inquietações, os desassossegos, os devaneios, as tramas que os criadores de gerações e contextos diferentes nos oferecem. São fragmentos de vida, são fragmentos de emoções, são pensamentos, são pólvora inesperada que se dispersa, conecta e invade diversamente cada pessoa que os habita.

Celebramos a oportunidade desta comunhão nas atmosferas criadas por nove performers em que cada noite, singular, será um acontecimento e certamente uma festa!


Sinopses


  • André Rangel - Rechteck Fyrkant

Se fossem a mesma coisa, eram a mesma coisa mas não são.


  • Francisco Aguiar - Fados Gritados


  • Sara dos Santos - Infinity 

Instalação-performance de fechos de luz na direção do espectador (por via de projeção) sobre fumo + mix sonora original que acompanha o efeito lumínico.


Equipa


  • Curadoria


Susana Chiocca é doutoranda em Arte Contemporânea pela Faculdade de Belas Artes de Cuenca e licenciada em Artes Plásticas pela F.B.A.U.P.

Professora convidada no Colégio das Artes da Universidade de Coimbra, Balleteatro e Universidade Lusófona do Porto. Como artista desenvolve trabalho no desenho, instalação, vídeo, som, fotografia e a performance. Desde 1999 que tem participado em diversas exposições, eventos e workshops. Tem realizado programação sobretudo na área da performance como os eventos: Acesso de Vertigem #1 e #2 (Maus Hábitos 2018-2019), E agora? (Maus Hábitos, 2017); criou o espaço a Sala dedicado à apresentação de performance uma vez por mês, junto com António Lago (2006-2010), os eventos na baixa do Porto Totetismo urbano (Associação SOOPA, 2010) e À Varanda (apresentado a partir das varandas das casas dos artistas participantes, 2007) e a exposição O Dizer do Corpo, com documentação e apresentação de performances cada fim de semana (Espaço Ilimitado, 2010).


  • Artística 

    • Alex Lima

Natural do Rio de Janeiro.Doutorando em Arte Contemporânea pela Universidade de Coimbra, Músico instrumentista e intérprete, designer, arte educador, agente cultural e artista multimedia. 

Desenvolve trabalho em Poesia Digital, na qual a palavra se expande em formas, imagens, texturas, cor, movimentos e sons, podendo ou não envolver interatividade; no Espaço Urbano com performances artísticas digitais, vídeo mapping. Recentemente participou como convidado no projeto “Arte ao Centro” na cidade de Torres Vedras em Portugal com uma obra digital com poemas de Antero de Quental e Fernando Pessoa. È também formador em cursos, oficinas e workshops, tendo como objetivo a interpretação da palavra usando o computador como ferramenta de criação.


  • Beatriz Albuquerque

Beatriz Albuquerque vive e trabalha entre o Porto e Nova Iorque. Ela é conhecida pelas suas práticas interdisciplinares entre a performance e multimedia, e tem um doutoramento pela Columbia University em Nova Iorque, com uma Bolsa da Fundação para a Ciência e a Tecnologia e anteriormente com uma Bolsa da Fulbright/FLAD. Ela concluiu a Licenciatura na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto em 2003 e o Master of Fine Arts no The School of the Art Institute of Chicago em 2006. Ela foi galardoada com o Prémio Myers Art Prize: cross media, Columbia University, Nova Iorque; assim como o Prémio Revelação pela 17a Bienal de Cerveira: Arte: Crise e Transformação, Portugal; e com o Prémio de Performance Ambient Series, PAC/edge Performance Festival, Chicago. Beatriz Albuquerque realizou várias exposições individuais e colectivas, destacando-se alguns lugares onde a artista apresentou trabalho como o Museum of Contemporary Art of Chicago, Chicago Cultural Center, Chelsea Art Museum (Nova Iorque), The Kitchen (Nova Iorque), Queens Museum (Nova Iorque), Emily Harvey Foundation (Nova Iorque), Rooster Gallery (Nova Iorque), MoMA PS1 (Nova Iorque), Cabinet Magazine (Brooklyn), MASS MoCA (North Adams), ArtCenter/South Florida (Miami), International Istanbul Biennial, 2nd Thessaloniki Biennale of Contemporary Art (Grécia), entre outros. (www.beatrizalbuquerque.com)


  • Duarte Amorim

Duarte Amorim, 1983, reside e trabalha no Porto Licenciado em Design de Comunicação pela Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto. Sócio fundador do atelier de design Bolos Quentes sediado no Porto. A sua principal actividade é como designer gráfico e director artístico no seu próprio atelier. Para além da actividade de designer também realizou telediscos e curtas metragens. Tem também explorado projeções lasers a partir de síntese sonora tendo feito concertos para os zzzzzzzzzzzzzzzzzp! (Miguel Sá e Miguel Carvalhais) no Passos Manuel, Porto e no Lounge e St. George’s Church, Lisboa.


  • Ivana Sehic

Ivana Sehic é artista, arquitecta e investigadora. Na sua prática artística, explora o deslocamento, a alteridade e a espontaneidade através do corpo, texto e artefactos. Trabalha no Atelier Caldeiras, um coletivo de quatro artistas, com quem recentemente criou Volatim (2021), uma instalação performática sobre o quê e como prosseguimos quando nos chamam ou nos pressionam para nos movermos. Os seus trabalhos são desenvolvidos, produzidos e apoiados pela Resolução

Festival London, Guggenheim Museum Bilbao e Circolando's 20 Volts Festival Porto, entre

outros.

O seu trabalho académico explora o método performativo como produção e aprendizagem de conhecimento. No seu projeto de doutorado na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, explora o transformador potencial das práticas artísticas nas práticas de perda e luto. Além disso, dirige o Módulo 'Criação de Espaço através do Movimento' no Departamento de Arquitetura da University of East Londres, focando-se no corpo como nossa primeira e contínua ferramenta.

Nascida na Croácia, educada no Reino Unido, vive actualmente em Portugal.


  • Felícia Teixeira & João Brojo

Felícia Teixeira (Vila Real, 1988) e João Brojo (Fundão, 1987) vivem e trabalham no Porto. Licenciaram-se em Artes Plásticas – Multimédia na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, em 2011. Em 2014, Felícia Teixeira concluiu na mesma instituição, o Mestrado em Práticas Artísticas Contemporâneas.

Trabalham enquanto dupla desde 2011, tendo participado em várias exposições colectivas a nível nacional e internacional em espaços como a Fundação de Serralves, a Galeria Graça Brandão, o Espaço Mira e a New Jorg (Áustria). Das exposições individuais destacam-se Validity of a study, Galeria Painel, Porto (2013); Almoço de Trabalhadores, O sol aceita a pele para ficar, Guimarães (2016) e Yah, Espaço Mira, Porto (2020).

Participaram em algumas residências artísticas de onde se salienta a colaboração com as Oficinas do Convento, em Montemor-o-Novo, a Galeria Projecto-República das Artes, em Vila Nova de Cerveira e o Encontrarte, em Amares. Estão representados na Coleção de Livros de Artista da Fundação de Serralves e na Coleção de Audiovisual da Balaclava Noir. 


  • José Oliveira

Licenciou-se pela Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto em Artes Plásticas-Pintura, pela mesma faculdade realizou o Mestrado em Práticas Artísticas Contemporâneas. 

É co-fundador da Galeria Painel, co-fundador e membro do colectivo Rua do Sol sediado no Porto, membro da direcção do CCOP, onde é responsável pela área cultural, e membro do júri do concurso de cozinha As Três Rãs. Trabalha atualmente com Joana Ribeiro no Café CCOP, onde são empregados de mesa e chef's da cozinha Leosandro Vincitelli.

No seu trabalho artístico tem vindo a desenvolver propostas que abordam questões relacionadas com o mundo laboral, nos trabalhos mais recentes tem vindo a questionar o conceito de produção artística e da sua valorização. Nasceu em Braga, em 1986, vive e trabalha na cidade do Porto.


  • Leonor Parda

Artista plástica, experimentalista sonora, sonhadora e cuidadora do espaço A Leste, no Porto.

Concluiu em 2017 o Mestrado em Práticas Artísticas Contemporâneas, na FBAUP, Porto. Ao longo do seu percurso colaborou com espaços diversos como o Taller Leñateros - atelier de criação colectiva das artes do livro, San Cristóbal de las Casas, Chiapas (México), a SKREI, Arquitectura e Construção Integrada (Porto) onde criou o programa de residências artísticas SKAD – Skrei Arts Division, que acolheu durante um ano artistas plásticos de várias áreas e proveniências, foi membro do Coletivo Rua do Sol e colabora frequentemente como artista convidada e orientadora de projetos para o seminário de vídeo e artes sonoras de Geoffroy DeVolder e Patrick Codenys com os alunos de ENSAV - La Cambre.

O seu trabalho apesar de multidisciplinar gira à volta de algumas ideias centrais: políticas do corpo, auto-desdomesticação e interdependência fluída como formas de resistência. Acredita na arte como forma poética de habitar o mundo. 


  • Sara dos Santos

Sara dos Santos. Finalista do curso de Artes Plásticas no ramo de Multimédia, na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto.

Nascida no ano de 1999 na Suíça; desde pequena nutre amor pela arte e pela música  - que estudou, sob grande apoio da família que é também entusiasta dessa esfera – e pelas mais variadas áreas que em pouco se relacionam com as artes.

Encontra vasto interesse em arquitetura, rendering e arte multimédia (essencialmente video art, instalações audiovisuais e arte sonora). Procura estudar e aprofundar a área do rendering para garantir um futuro nessa perspetiva - não deixando de parte outras hipóteses - e projetar-se no domínio da instalação interativa.


  • Programação & produção 

  • Mariana Vitale 


Programadora, produtora e gestora cultural. Mestre em Estudos Artísticos pela Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto e pos-graduada em Artes Visuais, Intermeios e Educação, pela Universidade de Campinas. Possui licenciatura e bacharelado em Letras - Língua Portuguesa pela  Universidade de São Paulo. Inicia a sua trajetória profissional na área da cultura em 2006, no Museu da Língua Portuguesa em São Paulo. De lá, segue percurso pelo Museu do Futebol, Instituto Itaú Cultural, Sesc Pompeia, Museu de Arte Brasileira/Faap e Instituto Moreira Salles. Em 2013, passa a integrar a equipa educativa do Centro Cultural Banco do Brasil de São Paulo como coordenadora de produção. Em 2015, segue a convite para a cidade de Belo Horizonte para coordenar a equipa educativa do Centro Cultural Banco do Brasil durante um semestre, responsável pela orientação pedagógica das ações desenvolvidas e por estabelecer parcerias com instituições. De volta a São Paulo, atua como produtora para a Cia BuZum! Em 2016, muda-se para o Porto onde teve a oportunidade de coordenar a produção da feira de arte impressa brasileira, a 12ª Tijuana-Porto. No mesmo ano passa a integrar a equipa da Companhia de Teatro da Didascália, onde foi responsável pela direção de produção da Mostra de teatro “Territórios Dramáticos” e do “Festival Internacional Vaudeville Rendez-Vous” realizado em 2017 em três cidades - Braga, Guimarães e V.N. Famalicão. Faz parte da equipa que idealizou e organizou a Feira Deriva de arte Impressa, cuja 1ª edição acontece em outubro de 2017, período que em passa a ser responsável pela produção e programação artística da Saco Azul & do Maus Hábitos.


  • Técnica (som, luz e audiovisual)

  • Carlos Casaleiro 

Professor de produção áudio e técnico de som, Carlos Casaleiro nasceu em Espinho em 1981. Inicia estudos musicais em prática de guitarra enquanto adolescente, frequentando escolas como a Oficina de Música de Aveiro. Em 2007, foca-se na produção de áudio e ingressa na Escola Superior de Música do Porto na Licenciatura de Produção e Tecnologias da Música, onde explora técnicas de captação, gravação, processamento, mistura e masterização de áudio. Em 2013, conclui o Mestrado em Multimédia da Universidade do Porto, após desenvolver competências como a concepção e programação de sistemas digitais interactivos, com recurso a uma grande diversidade de tecnologias. Adquire ainda a capacidade de aperfeiçoar ou adaptar formas de síntese sonora em projectos como obras de ficção, documentários e jogos de computador, usando as componentes e as metodologias de trabalho adequadas no âmbito do design de som. Desde 2015 que é professor de Tecnologias Aplicadas ao Áudio na Escola Profissional de Música de Espinho e técnico de som principal do Maus Hábitos - Espaço de Intervenção Cultural. Trabalha ainda actualmente como técnico de som para projectos como Capicua e Stereoboy, entre outros.

Ficha Técnica

Curadoria: Susana Chiocca 

Programação e Produção: Mariana Vitale

Técnica: Carlos Casaleiro

Gestão de Conteúdos Digitais e Comunicação: Filipe Confraria, Mariana Vitale e Rodrigo Rosas

Assessoria de Imprensa: Filipe Confraria

Design: Rodrigo Rosas

Fotografia: João Pádua

Estágio: Jéssica Roque

Limpeza: Manuela Pinto

Organização e Direção Artística: Saco Azul & Maus Hábitos

Image

Projeto:

EXTRA(s)

Press

Saco Azul, Maus Hábitos,

Rua Passos Manuel 178

4º andar

4000-382 Porto


Produção Artística

marianavitale@maushabitos.com

danielpires@maushabitos.com

Assessoria de Imprensa

imprensa@maushabitos.com


Image

powered by

Image
Image